Nutrição

Proteínas e a sua função no organismo

As proteínas são macromoléculas biológicas constituídas por unidades mais pequenas denominadas aminoácidos. Estes podem ser aminoácidos não essenciais, quando o nosso organismo é capaz de os produzir, ou aminoácidos essenciais, que têm de ser fornecidos pela alimentação já que o nosso organismo não os sintetiza.

Como principais funções no organismo, sabemos que são responsáveis pelo crescimento, assim como pela manutenção dos órgãos, tecidos e células do organismo.

não queremos o nosso corpo a funcionar em “serviços mínimos”, doses de 1,0g/kg até 1.2g/kg/dia são tidas como mais adequadas

Quanto devo ingerir de proteína por dia?

Esta é uma das perguntas mais frequentes no mundo do desporto, e ao mesmo tempo que mais dúvidas cria em seu redor.

Como é fácil percebermos, as recomendações de proteína não são transversais a toda a população, e sofrem variações de acordo com vários fatores, entre os quais:

– Idade

– Peso

– Atividade física

– Patologias

Contudo, para facilitar os cálculos, foi criada uma “guideline” geral da quantidade de proteína recomendada que pode ser aplicada a qualquer adulto que não tenha patologias associadas : 0,8g/kg peso/dia

No entanto, e como não queremos o nosso corpo a funcionar em “serviços mínimos”, doses de 1,0g/kg até 1.2g/kg/dia são tidas como mais adequadas à manutenção da massa muscular. Exemplo disto são os indivíduos que realizem exercício físico de baixa ou média intensidade, com alguma regularidade.

Por fim, e se o objectivo visar a hipertrofia muscular e o ganho de massa magra, e se o exercício físico realizado for de alta intensidade, doses acima de 1,8g/kg até 2.5g/kg/dia serão suficientes para garantir o aporte proteico necessário para promover o aumento de massa muscular no atleta.

 

Hugo Miguel Marques da Silva

Nutricionista 1Fight

 

Referências bibliográficas:

– MAESTA, N. Et al. Efeito da oferta dietética de proteína sobre o ganho muscular, balanço nitrogenado e cinética da 15N-Glicina de atletas em treinamento de musculação. Revista Brasileira da Medicina do Desporto, V.14, N.3, P. 215-220, Maio/Junho 2008

– CARVALHO, T.Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Desporto – Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação da acção ergogénica e potenciais riscos. Revista Brasileira da Medicina do Desporto, v.9, n.2, p. 1-16

– Internacional journal of Sport Nutrition and exercise metabolism, 2007